Meditação e Envelhecimento

O envelhecimento apesar de fazer parte do ciclo de vida do ser humano, ainda é visto como negativo pela sociedade, devido às mudanças e modificações físicas, cognitivas e psicossociais associadas à esta faixa etária.

 

O que sabemos é que não escaparemos desse processo silencioso, mas presente diariamente nas nossas vidas. Questões inerentes e essenciais devem ser abordadas e tratadas, como expectativa de vida, qualidade de vida, capacidade funcional e bem-estar. E assim passar por esta fase mantendo a autonomia e independência, prevenindo aparecimento de doenças e amenizando o impacto das já existentes.

 

A meditação é uma das formas de se alcançar um envelhecimento saudável e postergar as perdas inerentes à idade avançada ou das doenças crônicas de uma vida inteira. Sua prática vem mostrando resultados positivos no combate às doenças neurodegenerativas, e também no auxílio em manter funções cognitivas, como a atenção, memória e fluência verbal.

 

Trata-se de uma intervenção não-farmacológica que pode prevenir o declínio cognitivo decorrente do envelhecimento, promovendo regulação emocional, fisiológica, bem-estar e saúde mental da população da terceira idade. E neste contexto, atua no combate da ansiedade, estresse e consequentemente regularizando os níveis de cortisol, e consequentemente sendo benéfico para o bem-estar e saúde físico-emocional dos seres humanos.

 

 

Dra Flavia Renata Topciu – CRM 121.925

Geriatra pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia

Especialista em Cuidados Paliativos pela Associação Médica Brasileira