fbpx

ENGASGO

O engasgo é importante causa de morte acidental de bebês de até um ano de idade. As crianças menores de quatro anos têm maior risco de engasgar e sufocar devido a: pequeno tamanho de sua boca, garganta, esôfago e traqueia; tendência de colocar objetos na boca; pouca experiência em mastigar e engolir; falta de habilidade de levantar a cabeça ou livrar-se de lugares apertados.

Como diminuir o risco de engasgos?

Nos casos de alimentos, cortá-los em pedaços pequenos, não dar alimentos redondos e duros (uvas, pipoca, balas, cenoura crua, amendoim, nozes) para crianças menores de 4 anos e ensinar a criança a comer sentada e sem falar ao mesmo tempo. No caso dos bebês, ainda há chance de engasgo com o leite; para evitá-lo, na hora da amamentação deixar o bebê inclinado e não totalmente deitado e colocá-lo em posição ereta no colo por cerca de 20 minutos após a mamada.

Na hora de dormir, usar berço seguro e colchão firme, de barriga para cima, evitando brinquedos, travesseiros, cobertores, protetor de berço e qualquer outro objeto macio quando o bebê estiver dormindo para reduzir o risco de asfixia.

Para evitar engasgo com brinquedos, seguir as recomendações do fabricante e procurar brinquedos com selo do Inmetro, inspecionando regularmente os brinquedos utilizados.

No ambiente doméstico cuidar para que não haja pequenos objetos ou objetos perigosos (como sacolas plásticas) ao alcance das crianças.

O que fazer quando a criança engasga?

Se a criança engasgar, é preciso manter a calma e agir. Os sinais de alerta para o sufocamento são: dificuldade súbita para respirar, ruído na respiração, abafamento da voz e lábios roxos. Se a criança estiver engasgada, porém conseguir tossir, não mexa nela; retire com a mão apenas objetos ou secreção visíveis e apenas incentive-a a tossir.

Existem manobras para desengasgar, levando em consideração a idade da criança:

- bebês menores de um ano: devem ser apoiados no braço de quem a estiver socorrendo, com a cabeça mais abaixo que o corpo, mantendo a sua boca aberta. Aplicar 5 batidas com a palma da mão nas costas da criança. Depois, virar o bebê com a barriga para cima, iniciando 5 compressões no peito da criança, logo abaixo da linha entre os mamilos. Repetir esse ciclo até o bebê expelir o alimento ou objeto.

- crianças maiores de 1 ano: posicionar-se atrás da criança, avisando-a da ajuda e iniciar compressões abaixo do diafragma (manobra de Heimlich), que consistem em apoiar a mão de quem irá realizar a manobra, fechada em punho, encoberta pela outra, entre o umbigo e a extremidade inferior do osso do peito da criança e realizar compressões em trancos para dentro e para cima, até que a criança consiga expelir o objeto.

Caso o quadro da criança piore ou perca a consciência, grite por ajuda e ligue imediatamente para o serviço médico especializado do 192 (SAMU) ou 193 (Corpo de Bombeiros).  Enquanto aguarda o socorro, colocar a criança deitada e fazer duas respirações boca a boca. Abrir a boca e ver se o objeto foi expelido; se não, faça 30 compressões no tórax e abrir a boca novamente. Se o objeto tiver sido expelido, retire-o cuidadosamente com os dedos em forma de pinça e faça mais duas ventilações boca a boca. Repetir o procedimento até o socorro chegar ou a criança voltar a respirar.

Dra. Fernanda Formagio de Godoy Miguel

Pediatra pela SBP

CRM: 104.671