fbpx

FEBRE

            A febre na criança é uma das manifestações mais comuns de doença na criança e uma das primeiras causas de consulta ao pediatra.

            É definida como elevação anormal da temperatura do corpo. Considera-se febre quando a temperatura for acima de 37,8° C. A verificação deve ser feita com o termômetro colocado por 3 a 5 minutos e com a criança com pouco agasalho. Vários fatores interferem em sua determinação, como horário do dia, idade da criança, quantidade de agasalho e clima.

            As causas de febre são inúmeras, podendo variar desde simples resfriados até doenças graves.

Basicamente podemos dividir as causas em:

- infecciosas: podem ser por vírus (ex.: gripe, hepatite A, catapora, diarréias virais, meningites virais, etc.), bactérias (ex.: pneumonia, infecções de ouvido/garganta/urinária, meningites bacterianas, etc.) ou parasitas (ex.: malária, doença de Chagas, etc.)

- inflamatórias: reações alérgicas, reações vacinais, artrites, etc.

- neoplasias: tumores, leucemias.

- outras: desidratação, doenças hereditárias e outras.

            Como proceder no estado febril:

-roupas leves, não exagerando nos agasalhos;

-ambiente arejado, ventilado;

-repouso;

-banhos mornos;

-aumento da oferta de líquidos;

-medicação.

            A medicação merece uma explicação à parte. A febre é uma forma de avisar que alguma coisa de errado está acontecendo com o organismo, e também é durante a febre que há melhor combate contra os vírus e bactérias. E devemos considerar que o uso contínuo de medicação pode mascarar a clínica e dificultar o diagnóstico. Na maioria dos casos só o uso das medidas acima já ajuda a reduzir a febre. O uso de medicamentos é feito principalmente para o conforto da criança.

            Os medicamentos mais utilizados são os antitérmicos.

            Algo que é motivo de grande preocupação dos pais é a convulsão febril. Mas ela só ocorre em crianças que têm predisposição e independentemente da febre ser alta ou baixa.

            Se a criança apresentar diminuição importante do apetite, queda do estado geral ou algum outro sinal de gravidade, o médico deve ser procurado o mais rápido possível para que o diagnóstico e o tratamento sejam feitos com urgência.  

Dra. Fernanda Formagio de Godoy Miguel

Pediatra pela SBP

CRM: 104.671